• Alameda Jaú, 1754 - 08º e 09º | Jardim Paulista, São Paulo – SP - Telefone: + 55 (11) 3995-8160

A importância da governança corporativa e como aplicá-la no seu negócio

A importância da governança corporativa e como aplicá-la no seu negócio

A importância da governança corporativa e como aplicá-la no seu negócio 1300 867 Marcio Takeuchi

A maneira de gerir uma empresa sofreu alterações nos últimos anos. Cada vez menos os negócios são comandados por um dono, centralizador, que determina todas as ações a serem realizadas. O mercado mais globalizado e competitivo de hoje exige uma gestão mais transparente e que transmita confiança. Nesse sentido, a governança corporativa passa a ser uma importante ferramenta para as empresas.

Detalhes que antes eram considerados menos importantes, como a forma de condução da empresa, o perfil de suas decisões e, até mesmo, a sua relação com o público, agora são importantes fatores no processo de decisão.

A governança corporativa, além dos benefícios administrativos que traz para a empresa, transmite a ideia de confiabilidade e segurança para os stakeholders. Dessa forma, melhora a imagem que a empresa tem frente ao mercado, clientes e possíveis consumidores.

O que é a governança corporativa

Podemos definir a governança corporativa como o conjunto de procedimentos seguidos para administrar uma empresa. Ou seja, a forma como ela é controlada e suas decisões, tomadas.

A ideia da governança corporativa é substituir o papel do “dono da empresa”, que toma todas as decisões sobre o negócio de acordo com sua opinião, por novos atores. Sendo assim, entram em cena os C-levels (CEO, CFO, CMO e etc.), diretores, integrantes do Conselho Administrativo e colaboradores.

Cada um desses papéis exerce uma função específica no processo de governança corporativa na empresa. A ideia é criar um sistema de gestão que seja transparente, tanto com os stakeholders interno quanto com os externos.

As decisões tomadas pela empresa não mais se baseiam nas opiniões de uma única pessoa. Elas são formadas a partir de extensas análises de dados e discussões entre os diferentes atores do processo administrativo. Esse ritual passa ao mercado a ideia de uma empresa confiável e segura.

Princípios da governança corporativa

A governança corporativa, para ser aplicada corretamente dentro de uma empresa, precisa seguir quatro princípios distintos:

  1. Transparência: a empresa não pode esconder informações dos seus colaboradores e dos stakeholders. A ideia é divulgar todos os dados a respeito da empresa, criando um elo de confiança com seu público e o mercado.
  2. Equidade: a equipe de gestão deve tratar igualmente todos os sócios da empresa, independentemente do tamanho da sua participação. Assim como, qualquer indivíduo que tenha algum interesse na empresa.
  3. Prestação de contas: para ter uma administração transparente os gestores precisam prestar contas de suas ações. Logo, fica evidente quais foram as consequências desses atos, sejam elas positivas ou negativas.
  4. Responsabilidade corporativa: além da responsabilidade com a saúde financeira da empresa, os gestores também precisam pensar na sustentabilidade social e ambiental, principalmente das regiões e dos grupos humanos envolvidos e influenciados pelas suas atividades.

Importância da governança corporativa

A governança corporativa não deve ser vista apenas como uma nova forma de administrar uma empresa. Ela é uma oportunidade para a empresa crescer no seu mercado e aumentar seu valor.

A descentralização das tomadas de decisões, a transparência nas ações e o apoio de um conselho consultivo vão dar a marca maior fieza. Dessa forma, a empresa terá uma maior facilidade em captar novos investidores, tendo esse aspecto como um discurso de vendas. Além disso, a credibilidade é uma peça fundamental para o desenvolvimento de uma relação sólida com os clientes.

Portanto, a governança corporativa é uma excelente opção para as empresas que estão em processo de expansão ou cuja as técnicas administrativas já não são suficientes para gerir todos os processos.

Benefícios da governança corporativa

Um dos principais benefício de adotar uma governança corporativa na empresa é a facilitação ao acesso a novo capital. Além disso, esse modelo de gestão também contribui para a longevidade da empresa.

Entretanto, esses não são os únicos benefícios da governança corporativa. Também podemos citar:

  • Aumenta a visibilidade da empresa no mercado;
  • Prevenção contra fraudes, erros ou problemas de ordem administrativa;
  • Reduz o custo do capital;
  • Melhora o desempenho operacional;
  • Controla o abuso de poder pelos gestores, já que as decisões são descentralizadas;
  • Impede o conflito de interesses;
  • Evita que informações sensíveis e privilegiadas sejam usadas por um pequeno grupo de pessoas. 

Muitos dos benefícios da governança corporativa vão de encontro com alguns dos principais problemas enfrentados pela gestão de uma empresa. Dessa forma, essa maneira de gerir acaba por resolver diversos problemas da equipe administrativa.

Quais empresas podem ter uma governança corporativa

Ficou condicionado que a governança corporativa é uma forma de gestão aplicada por grandes empresas de capital aberto. Entretanto, nada impede que pequenas e médias empresas também adotem esse modelo de gestão.

Apesar de não alcançarem todos os benefícios citados acima, a gestão mais transparente e organizada vai facilitar os processos de expansão. Além disso, PME com contas mais organizadas conseguem diminuir custos com impostos e pessoal.

Como aplicar a governança corporativa

A aplicação da governança corporativa na empresa exige uma mudança de comportamento. A primeira coisa a ser feita é definir a nova hierarquia. Determinar quais pessoas irão assumir os papeis de liderança na empresa, em quais áreas elas vão atuar, quais os limites da sua atuação e a quem devem responder.

O segundo passo e criar uma agenda de reuniões periódicas. Elas devem contar com a participação dos sócios, diretores e conselho administrativo, e as pautas devem tratar sobre planos de ações estratégicas, diretrizes e acompanhamento dos projetos.

A ideia é deixar todos os interessados a par de tudo o que está acontecendo na empresa e definir quais os próximos passos para alcançar as metas estabelecidas.

O terceiro passo é criar um conselho administrativo. Ele deve ser formado por profissionais respeitados e capacitados. Apesar de não poderem tomar decisões por si mesmo, o conselho tem o papel de analisar a situação atual e sugerir possíveis ações.

A Bluke somente utiliza cookies essenciais a navegabilidade do site, para melhorar a sua experiência com nossos canais e serviços, inexistindo quaisquer coletas de dados adicionais. Ao utilizar nossos serviços e canais, você concorda com a coleta exposta. Para saber mais informações confira nossa Política de Privacidade.