• Alameda Jaú, 1754 - 08º e 09º | Jardim Paulista, São Paulo – SP - Telefone: + 55 (11) 3995-8160

O cenário dos negócios internacionais no Brasil

O crescimento dos negócios internacionais no Brasil

O cenário dos negócios internacionais no Brasil

O cenário dos negócios internacionais no Brasil 1802 950 Bluke

Investimentos dos negócios internacionais no Brasil colaboram para que o país alcance maior crescimento econômico e desenvolvimento social. Empresas estrangeiras instaladas em território nacional não só geram riquezas, como também empregos e impostos, os quais são muitas vezes empregados em políticas públicas de desenvolvimento social, como na educação, saúde e cultura, por exemplo.

A título de informação, o país acolhe dezenas de negócios internacionais. Estão presentes no Brasil várias empresas de referência em diversos segmentos do mercado, como tecnologia e saúde.

Você gostaria de entender melhor o crescimento dos negócios internacionais no Brasil? Em caso de resposta positiva, continue a leitura.

Investimento estrangeiro no país

Apesar de ser superimportante para compreendermos a dimensão da influência do comércio internacional no Brasil, não há dados atuais sobre a quantidade de empresas estrangeiras no país.

Mesmo com essa lacuna, podemos visualizar com clareza o crescimento do comércio internacional em território nacional, tanto que, conforme um relatório produzido pelas Nações Unidas, em 2018, o Brasil passou a ser o 4.º maior destino de investimento estrangeiro direto.

A pesquisa apontou que nove em cada dez das maiores aquisições por parte de empresas internacionais na América Latina, em 2017, ocorreram no Brasil. Aquisições no âmbito dos negócios internacionais ocorreram em setores do mercado como:

  • Elétrico;
  • Petrolífero;
  • Agronegócio.

Nesse sentido, cabe ainda destacar que o Brasil subiu do sétimo para o quarto lugar no ranking de país que mais recebe investimento estrangeiro direto, contrariando, ainda, a tendência de desaceleração do fluxo econômico global, segundo o relatório das Nações Unidas.

O relatório ainda destacou que “O fluxo de investimento estrangeiro direto para o Brasil subiu 8% no ano de 2017, para U$ 62,7 bilhões, lembrando que o país atrai mais de 40% do total de recursos destinados à América Latina.”

O relatório das Nações Unidas demonstra que o Brasil tem sido um dos principais destinos em relação ao investimento feito por empresas estrangeiras.

O documento, como exemplo, ainda aponta a ação da empresa chinesa State Grid, que realizou a compra de ações majoritárias na CPFL Energia, que é responsável pela distribuição de energia em São Paulo. As ações, na época, valeram nada menos que U$ 4,4 bilhões.

Vale fazer um acrescento com relação ao investimento estrangeiro direto no país. Com a pandemia da Covid-19 e outros fatores, o Brasil passou a ocupar a posição 25 na lista de países mais confiáveis para o investimento estrangeiro direto, segundo uma matéria produzida pela Agência Brasileira de Comunicação. A pesquisa foi desenvolvida na época da pandemia, o que influenciou os resultados do estudo.

Nessa direção, é importante destacar, a título de exemplo, quais são, atualmente, as principais empresas estrangeiras com atuação no país. Conheça algumas delas:

1. Apple

Fundada há mais 10 anos, a Apple tem é uma empresa de referência no segmento de tecnologia e informática. É uma das empresas mais lucrativas do mundo, possuindo um valor de mercado que ultrapassa U$ 1 trilhão. No Brasil, a sua sede fica localizada em São Paulo.

2. Toyota Motor

Surgida na década de 1950, a Toyota Motor se tornou referência no mercado automobilístico. Ela foi fundada no Japão e o primeiro país para onde ela se expandiu foi o Brasil. A sede da Toyota, no país, fica em São Paulo.

3. Samsung

A empresa foi criada na Coreia do Sul e, a cada dia, tem ganhado maior visibilidade no mercado brasileiro. É comum vermos ao andarmos nas ruas pessoas com celulares e outros produtos da Samsung, o que demonstra que a marca obteve grande aceitabilidade e sucesso.

Essas, como dissemos, são apenas algumas das empresas estrangeiras que atuam fortemente no mercado brasileiro, comercializando seus produtos e possibilitando que os consumidores tenham acesso ao que há de mais atual em termos de produtos e serviços.

Outras empresas estrangeiras que atuam no país são, por exemplo, Nestlé, P&G, Wal-Mart, Microsoft, Facebook, Twitter e Johnson & Johnson.

Número de empresas exportadoras no Brasil

Mercado internacional é basicamente composto por duas frentes: o primeiro representa a atuação das empresas estrangeiras no Brasil. Ao se instalarem no país, elas trazem não apenas desenvolvimento econômico e social, mas também sua tecnologia, produtos e/ou serviços, ampliando assim o consumo dos brasileiros.

Mais que isso, na verdade, pois, como dissemos, as empresas estrangeiras são obrigadas, por lei, a pagarem impostos, os quais são, geralmente, revertidos em políticas públicas com o objetivo de gerar bem-estar social para a população.

A segunda frente reflete a atuação do mercado brasileiro em negócios internacionais. Nessa perspectiva, podemos dizer que houve relativo crescimento quando comparado com o investimento internacional no mercado brasileiro.

Em matéria publicada em 2018, a Época Negócios destacou que o número de exportadoras brasileiras cresceu 60% em 20 anos. Conforme a reportagem, em 1998, o país possuía apenas 19 mil empresas que atuavam exportando produtos. Depois de 20 anos, o número de empresas exportadoras saltou para 25,4 mil, representando um crescimento de 60%.

Ainda de acordo com a matéria, “O maior crescimento foi observado no número de empresas que venderam entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões: eram 611 em 1998 e chegaram a 1.373 em 2017, aumento de 124%”.

Como vimos, apesar de estarmos numa crise econômica cujo efeito é, claramente, perceptível em diversos setores da sociedade e, principalmente, no mercado, o Brasil ainda tem se mantido como um destino de confiança com relação ao investimento estrangeiro direto.

Índice que aponta não apenas como o Brasil é visto pelas empresas estrangeiras e investidores, mas também o seu crescimento no que diz respeito aos investimentos internacionais.